quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Piauí e Maranhão recebem cisternas do Água para Todos nesta semana

No Piauí, a meta é a instalação de 3.572 cisternas, enquanto no Maranhão a meta é levar os equipamentos para 4.302 famílias até o final desse ano.
30/08/12, 08:32
O
programa Água para Todos dá continuidade às atividades no Maranhão e no Piauí nesta semana. No Maranhão, 100 famílias receberão da Codevasf cisternas de consumo, enquanto no Piauí outras 100 famílias serão beneficiadas com os reservatórios.
Além da instalação de 200 novas cisternas, o Água para Todos realiza outras atividades nesta semana nos dois estados. Nos municípios piauienses de Rio Grande do Piauí, São João da Serra, São Miguel do Tapuio e Valença, acontece a capacitação das famílias que irão receber as cisternas – uma etapa importante do processo, na qual, para garantir o perfeito funcionamento e uso adequado das cisternas, são promovidos cursos de Gestão da Água onde os participantes são orientados quanto à utilização da água sem desperdício e instruções para a manutenção dos reservatórios.
Já no Maranhão, a programação inclui instalação do comitê gestor em Peritoró, reuniões de cadastramento em Anajatuba e Arari e marcação de área para instalação de cisterna em Pirapemas.
No Piauí, a meta é a instalação de 3.572 cisternas, enquanto no Maranhão a meta é levar os equipamentos para 4.302 famílias até o final desse ano. Em sua área de atuação, a Codevasf já instalou 17,8 mil cisternas em 32 municípios, em áreas rurais prioritariamente situadas no semiárido nordestino brasileiro.
Os municípios maranhenses de São Mateus e Matão do Norte já totalizaram 218 e 154 cisternas instaladas, respectivamente. Em Cantanhede, também no Maranhão, foram instalados 246 reservatórios. No Piauí, 847 cisternas já foram instaladas em Paulistana, onde a meta é a entrega de 1.010 equipamentos. Em Conceição do Canindé, 70 famílias receberam as cisternas até o momento. No município de Flores do Piauí, 92 famílias foram contempladas.
Segundo uma das beneficiárias do programa Água para Todos, Izabela Fonseca, do município Poço de Areia, no Piauí, a chegada da cisterna mudou tudo na vida da família. “Como aqui no Nordeste chove pouco e tem pouca água, a seca castiga muito. Agora com as cisternas sobra água para a gente, e não precisamos mais comprar água na rua” , comenta a beneficiária.
Já Marilza Ambrozina, de Mucambo, também no Piauí, diz que a chegada das cisternas, facilitou muito as atividades diárias, como cozinhar, e no deslocamento para pegar água. “Está tudo bem melhor agora. Não precisamos mais acordar de manhã cedo e pegar a carroça para conseguir água”, conta ela.
Avanços do programa - O Água para Todos é coordenado pelo Ministério da Integração Nacional e integra o Plano Brasil Sem Miséria, lançado pela presidenta Dilma Rousseff em Arapiraca (AL) em julho de 2011 para erradicar a pobreza extrema.
Com a aceleração, no último mês de julho, do ritmo de validação das famílias, a ampliação das equipes de campo e o aumento de frentes de trabalho das empresas instaladoras das cisternas, a Codevasf assegura o cumprimento da meta de beneficiar 60 mil famílias até dezembro deste ano, para que estas possam ter mais tranquilidade durante a seca. Com isso, a empresa estará dando a partida, ainda este ano, para validar mais 120 mil famílias, traduzindo investimentos totais de R$ 900 milhões, conforme orientação da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do Ministério da Integração Nacional.
Antes da instalação da cisterna, a Codevasf segue uma estratégia para garantir a correta distribuição dos reservatórios. Para isso, o programa organiza Comitês Gestores Municipais formado por representantes da sociedade civil organizada, sindicatos de representação rural, associações rurais, igrejas, pastorais e do poder público municipal, além de Comissões Comunitárias. O comitê auxilia na mobilização local das comunidades visando ao cadastramento e à validação das famílias a serem beneficiadas.
A indicação das localidades cabe ao comitê, bem como a relação dos beneficiários, obedecendo aos critérios do programa – famílias de áreas rurais, prioritariamente do semiárido, em situação de pobreza e extrema pobreza associada à carência de acesso à água com renda per capita de até R$ 140,00, desde que inscritas no CadÚnico, e também aos aposentados que, mesmo possuindo renda per capita familiar acima de R$ 140,00, vivam exclusivamente de sua renda previdenciária.
Para garantir o perfeito funcionamento e uso adequado das cisternas, são promovidos cursos de Gestão da Água com as famílias beneficiadas. Nessas capacitações os participantes são orientados quanto à utilização da água sem desperdício e instruções para a manutenção dos reservatórios.
Fonte: JL/Codevasf

Nenhum comentário :