VOCÊ REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VOCÊ REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

terça-feira, 2 de julho de 2013

Adolescente gravou vídeo com abuso sexual; Polícia

Vídeo passará por perícia e pode servir como prova. Adolescente conta que tomou iniciativa para ter prova.

Um vídeo com cenas de abuso sexual será periciado pela Polícia e é uma das provas contra o pensionista da Secretaria da Fazenda, José Abílio da Silva Junior, 48 anos. Um adolescente de 14 anos denunciou o pensionista de pedofilia e abuso sexual que é investigado pela Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente. 

Jordana Cury/Cidadeverde.com
Veja o vídeo
 

Há um ano, o adolescente denunciou o caso. Sem provas, o garoto teria resolvido gravar o vídeo e entregar à polícia. O vídeo, segundo depoimento, foi gravado no dia 21 de junho. Três celulares, um cartão de memória e um tablet foram entregues à DPCA.

Segundo o comandante da Companhia Independente do Promorar, capitão Flávio Santos, a polícia foi procurada pela mãe do garoto e fez, então, o flagrante.

A prisão ocorreu no sábado (29). O acusado e o menor de idade estavam na casa em que o pensionista mora, vestindo apenas roupas íntimas. Na TV, eles assistiam a um vídeo pornográfico, segundo a polícia.

José Abílio Júnior, no momento do flagrante

"Fazia tempo que ele parava o carro para mim e mandava eu entrar e eu não queria. Aí eu e minha mãe fomos na delegacia e ela disse que não podia fazer nada e precisava de prova. Eu fiquei com raiva e entrei no carro escondido da minha mãe e gravei a conversa e o vídeo", declarou o garoto durante a prisão em vídeo gravado pela polícia.




De acordo com o capitão, o vídeo feito pelo garoto foi entregue como prova à DPCA. "Ele é um menino muito esperto e tem um bom relacionamento com a mãe. Ele contou a ela e tomou a iniciativa de filmar. O vídeo mostra ele fazendo sexo oral com o acusado", explica o capitão Flávio Santos, comandante da Companhia Independente do Promorar.


A delegada Andrea Magalhães confirmou a existência do vídeo. "No depoimento, o adolescente contou que houve sexo oral. O vídeo vai ser periciado e pode ser usado como prova no processo. Vai depender se dá ou não para identificar o acusado e o adolescente ou ainda se foi feito de forma legal", explica a delegada.
fonte
Leilane Nunes
leilanenunes@cidadeverde.com

Nenhum comentário: