segunda-feira, 30 de junho de 2014

tocerdo Carioca que infartou durante jogo do Brasil comemorava aniversário


Imprimir
O carioca Jairo Rueda de Oliveira Guimarães, que morreu em Belo Horizonte depois de passar mal durante o jogo entre Brasil e Chile no sábado (28), comemorava o aniversário de 69 anos realizando o sonho de ver a seleção brasileira em campo na Copa do Mundo. O coração do torcedor não suportou a emoção provocada pela disputa dramática no gramado. Jairo passou mal dentro do Mineirão e foi retirado do estádio antes da disputa de pênaltis que afligiu todo o país. Segundo a família, o aposentado morreu sem saber o resultado da partida.


Botafoguense e Portelense de coração, Jairo dedicava seu tempo a compor samba. Ele havia combinado um churrasco com os amigos da agremiação azul e branca para festejar o aniversário. No entanto, os planos mudaram quando, na quarta-feira (25), um dos filhos o surpreendeu com um presente: ingressos para a partida. “Ele começou a chorar quando soube que iria ao jogo. Era um sonho dele isso e ele adorava futebol”, contou o administrador João Marcello Rangel Barreto, 38 anos, sobrinho de Jairo, que conseguiu comprar quatro entradas para a partida.
Ida para Belo Horizonte
Na sexta-feira (27), Jairo comemorou com a família o aniversário de um dos seis netos. Por volta das 23h, ele, o filho e o sobrinho e a mulher seguiram de carro para a capital mineira. Chegaram ao estádio por volta do meio-dia de sábado. Fizeram fotos, comeram e se vibraram com o início do jogo.
“Ele estava muito emocionado. Nunca tinha visto um estádio daquela forma e disse que futebol tinha que ser daquela forma, com a família indo junto, com as crianças, em clima de festa”, contou o sobrinho, que relatou também ter sentido dor no peito e procurado o posto médico dentro do estádio antes do início da partida. “O médico pediu para eu fazer um eletro [cardiograma] e constatou que estava tudo bem”.
Jairo cantou o Hino Nacional, abraçou torcedores na arquibancada, comemorou o gol de David Luiz. “Ele explodiu de emoção. Quando o Chile empatou, ele ficou triste mas continuou torcendo”, narrou o sobrinho.
Arritmia cardíaca
No intervalo, o aposentado disse que iria ao banheiro e não retornou. “Um voluntário da Fifa nos procurou e disse que ele tinha chegado sozinho ao posto médico”, contou João. Diabético, Jairo estava com a glicose alta. Em seguida, foi submetido a um eletrocardiograma que constatou arritmia cardíaca. Do estádio, foi levado para um hospital particular na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, para onde a família seguiu de táxi.
Segundo o sobrinho João, Jairo deu entrada na unidade médica às 15h49. “Ele chegou bem ao hospital, lúcido, conversando. O filho estava com junto quando ele sofreu a parada cardíaca. Eram 17h45. O jogo já tinha acabado. O filho acha que ele nem sequer soube o resultado. Mas a gente tem certeza que ele estava muito feliz naquele dia”.
O corpo de Jairo foi trazido de volta ao Rio e enterrado no Memorial do Carmo, no Caju, Zona Norte, às 16h de domingo (29).
A família de Jairo espera que a história dele chegue ao conhecimento da seleção brasileira e que os jogadores façam uma homenagem para o aposentado, que era apaixonado pelo futebol e acreditava no hexacampeonato do Brasil.
“A gente gostaria que a morte dele não fosse uma estatística de Copa do Mundo. Ele foi um senhor que viveu uma alegria enorme naquele dia. Era um sonho que ele realizava ali. Ele foi mais um brasileiro que acreditou na seleção, e que acabou dando a sua vida naquele estádio”, disse João, frisando que aguardará alguma mensagem da seleção.  “Uma camisa autografada, uma carta, qualquer gesto mostrando que os jogadores vão continuar brigando e vão batalhar em homenagem ao Jairo”, disse João.
Neto emociona a família
O sentimento da família foi traduzido pelo neto mais velho de Jairo, um garoto de 9 anos que surpreendeu todos os familiares com uma mensagem que postou numa rede social. “Ontem, eu achei que o falecimento do meu avô, era tudo culpa da Copa. Não era. Ela fez o falecimento ser menos doloroso, tanto para ele quanto para nós”, diz a mensagem.
“Esse avô era o melhor amigo dele. A história do Felipe é de um garoto brasileiro que morou na África, no Canadá, e teve o avô como companhia. O Jairo foi para lá tomar conta dele enquanto os pais trabalhavam”, disse João.
Data marcante
Dia 28 de junho é uma data que marcará para sempre a família por uma triste coincidência. Isso porque Jairo morreu no mesmo dia em que o pai dele faleceu, e pelo mesmo motivo: infarto. 
Apesar da tristeza, João frisou que a perda para a família aconteceu num dia de muita alegria para o país. “Como disse um cumpadre meu, só mesmo a maior festa do país para celebrar a vida do Jairo”, destacou o sobrinho.

Fonte: G1

Nenhum comentário :