sábado, 28 de fevereiro de 2015

Autoridades realizam blitz integrada na cidade de Cocal e apreendem oito veículos



O Promotor de Justiça da Comarca de Cocal- Francisco Túlio Ciarlini Mendes comandou na manhã desta sexta-feira (27/02), uma blitz com o propósito de apreender veículos que circulam de forma irregular e punir condutores que não possuam Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
Ao todo, oito veículos foram apreendidos, quatro carros e quatro motos. A blitz foi considerada uma verdadeira operação integrada e contou com a participação da Policia Militar, Policia Civil, Guarda Municipal e Agentes do DMTRANS. A medida gerou polêmica na cidade, onde a maioria dos moradores trafegam tranquilamente em seus veículos com emplacamento atrasado e sem a CNH.
Na Delegacia de Cocal, o representante do Ministério Publico esclareceu a necessidade da aplicação imediata do que determina o Código de Trânsito Brasileiro, com o intuito de evitar acidentes, preservar vidas e cumprir a lei. Ressaltando que mesmo depois de varias blitz e campanhas ocorridas nos anos de 2013 e 2014, a população não se conscientiza com relação à importância dos equipamentos de segurança e regulamentação dos veículos. Ele avisou ainda, que a partir de agora, as autoridades intensificarão as blitz na cidade e exigirá tudo do condutor/veiculo como prever a lei.
Os veículos apreendidas estão no pátio da Delegacia de Cocal. Os condutores/proprietários serão ouvidos pela delegada e responderão a um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) que posteriormente será encaminhado a justiça local, que durante audiência, será revertido em uma transação penal, previsto no pagamento de uma quantia peculiar, que varia de acordo de acordo com o entendimento das autoridades. Somente após todo o esse procedimento, o proprietário terá seu veiculo restituído.

Um comentário :

Anônimo disse...

Fenômeno raro: Imobiliárias dificultam aluguel de imóveis em Parnaíba-PI #FIMdaCORRUPÇÃO
Publicado em 28/02/2015 por Inacio Vacchiano
Rate This

Quem quiser alugar um imóvel na cidade beira mar de Parnaíba ou Luiz Correia no Piauí estará em maus lençóis. Um fenômeno raro ocorreu na cidade. Todos os imóveis para alugar estão nas mãos das imobiliárias, que são poucas, sendo que uma delas domina praticamente todo o local ditando as regras para as demais.

Ao fato de que a imobiliária tem dificultado os negócios, adotando preços padrões mínimos até para os mausoléus (uma parte significativa das casas que dispõe geralmente são muito antigas), a população não utiliza classificados – já que por lá não existe -, e não fazem uso dos sites da internet tipo http://www.bomnegocio.com/; http://www.olx.com.br/ entre outros, tão utilizados no resto do pais.

Parnaíba não tem indústria nem pecuária, ou qualquer meio de produção mas o valor dos imóveis tem subido a estratosfera. Muitos proprietários têm preferido manter os imóveis fechados por anos, sem ocupação ao invés de alugarem pelo preço de mercado.

Quando um imóvel é encontrado, o que é difícil, as imobiliárias fazem exigências mil que terminam por inviabilizar os negócios.

Os corretores atribuem o fenômeno a carência de pessoas honestas e cumpridoras dos compromissos, ou seja, segundo os mesmos, há muito calote, as pessoas locais não são confiáveis, daí a concentração dos imóveis nas imobiliárias.

Afirmam ainda que e muito comum tratar um preço em um negócio e na hora do fechamento haverem surpresas.

Xenofobia x corrupção

Ao que parece a receita da cidade vem do Fundo de Participação dos Municípios e de obras dos governos Estadual e Federal, há inclusive obras da copa inacabada.

Tivemos informações de que algumas grandes empresas tentaram criar um resort no local, mas foram impedidas pela câmara local e prefeitura. Do mesmo modo empresas de energia elétrica tem encontrado grandes dificuldades para instalar os cataventos, eis que grupos ligados a políticos locais tem criado dificuldades no intuito de receber benesses.

As classes mais privilegiadas na cidade estão ligadas aos governos de plantão e recebem gordos salários; em muitos casos sem prestar serviço algum, ficamos sabendo de valores que ultrapassam os R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais).

Assim, é fácil pagar qualquer preço…

Do outro lado tivemos conhecimento do uso de mão de obra escrava, i.e., é comum trabalhadores registrados com o salário mínimo na carteira (quando o são), mas que na verdade recebem apenas metade deste valor.

Nas festas, feriados como carnaval e ano novo, é muito comum cobrarem valores que variam entre R$7.000,00 a R$ 10.000,00, podendo ir além, por instalações precárias, para serem utilizadas por cerca de três dias.

Sempre fica a pergunta? Quem paga por isto e de onde vem este dinheiro?

Veja bem, não estamos falando aqui de litorais como o de São Paulo e Rio de Janeiro em que há obras e estruturas, mas de uma cidadezinha no topo do Piauí, praticamente isolada das grandes cidades, onde a internet boa, quando funciona, é aquela que você paga 5megas e recebe 500k; o celular então esqueça pois nem o GPS funciona – o Google Maps está sempre procurando uma rede e nunca acha; os principais centros de socorro médico encontram-se acerca de 350km e se você precisar de socorro e não tiver um conhecido no pronto socorro municipal ou não for amigo de alguém importante, vai pro beleleu…

Se você paga Unimed, saiba que o hospital de lá faliu e não colocaram outro no lugar há anos.

http://inaciovacchiano.com/2015/02/28/fenomeno-raro-imobiliarias-dificultam-aluguel-de-imoveis-em-parnaiba-pi-fimdacorrupcao/