sábado, 9 de abril de 2016

Após mais de 12h, rebelião na Penitenciária Mista de Parnaíba ainda não está 100% controlada


A rebelião teve início no final da tarde desta sexta-feira (08), durante a noite um preso foi ferido na cabeça, nessa manhã (09) outros 6 presos já foram atendidos no interior do presídio.


Apesar da Secretaria de Justiça emitir nota informando o total controle da situação dentro da Penitenciária Mista Fontes Ibiapina em Parnaíba, familiares de detentos continuam em frente ao portão principal da instituição e, afirmam terem ouvidos disparos na manhã deste sábado (09).


O que parecia ser apenas um motim, revelou ser bem maior do que as autoridades policiais imaginavam. Ainda na noite desta sexta-feira (08), o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar em Parnaíba, Major Lucena, concedeu entrevista, informando que não haviam presos feridos ou feitos reféns no interior do presídio. Poucos minutos depois, uma unidade avançada do SAMU chegaria ao local para atender um detendo ferido na cabeça e que precisara de suturas.


Unidades da tropa de choque e homens do RONE de Teresina, chegaram ainda na noite de sexta-feira, para dar apoio aos policias de Parnaíba. O Corpo de Bombeiros permaneceu do lado de fora durante toda a noite, sem poder entrar para conter as chamas nas celas.


Na manhã deste sábado, a SEJUS emitiu nota qualificando a rebelião como “motim” e informando que a situação estaria sob controle. Porém, familiares dos detentos que permaneciam em frente à penitenciária, informaram à reportagem do Tribuna de Parnaíba.com, que durante toda a manhã foram ouvidos disparos no interior do prédio. Por volta das 10h30, novamente o SAMU foi acionado e realizou o atendimento a 6 detentos, sendo 2 deles feridos por balas de borracha.



O RONE também retornou ao presídio nessa manhã. No momento a situação está aparentemente calma, mas familiares ainda concentram-se no portão principal do Fontes Ibiapina. Segundo eles a rebelião teria começado após os detentos permanecerem por 4 dias sem água nem para consumo, e que na noite desta sexta-feira, 5 presos foram mantidos reféns por outros presos. A PM negou a informação de reféns.


“Da última vez que eu dei entrevista bateram no meu marido, mas eu vou falar de novo o que está acontecendo la dentro, tem vez (sic), que me cobram R$ 15,00 pra eu levar água pra ele”. Relatou a esposa de um presidiário.

Nossa reportagem continuará durante todo o dia acompanhando a movimentação no prédio.

Por Bruno Santana / Edição Tribuna de Parnaíba

Nenhum comentário :