sábado, 1 de outubro de 2016

Prefeito e secretários são presos com quase R$ 60 mil no Sul do Piauí

Prefeito e secretários são presos com quase R$ 60 mil no Sul do Piauí
O prefeito e os secretários de Educação e Finanças de Barreiras do Piauí. Os 3 foram soltos no final da tarde deste sábado (1) depois de pagar fiança.
01/10/2016 18h12 - Atualizado em 01/10/2016 18h59
Por Juliana Barros
Do G1 PI
Dinheiro apreendido pela Polícia com o prefeito e secretários (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)Dinheiro apreendido pela Polícia com o prefeito e secretários (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)
O prefeito de Barreiras do Piauí, Divino Alano Barreira Seraine (PMDB), o secretário de Educação e o secretário de Finanças foram presos suspeitos de corrupção eleitoral, conhecido como compra de voto. Com eles a polícia apreendeu R$ 57 mil, documentos, notebook e celulares. A voz de prisão foi dada pelo promotor Márcio Carcará na noite dessa sexta-feira (30). A Justiça estipulou fiança de R$ 50 mil para o prefeito e de R$ 10 mil para cada um dos secretários.
O prefeito informou que apenas pegou uma carona com os secretários e que o dinheiro seria de um carro que foi vendido pelo secretário. “Fui até a cidade de Corrente para fazer uns pagamentos e mandei o motorista voltar, pois resolvi pegar carona como os secretários. O dinheiro é do carro do sogro do secretário que ele vendeu na cidade”, contou o prefeito Divino Alano.
Segundo o promotor, eles foram presos após uma denúncia anônima. “Na denúncia que recebemos informava que um veículo branco estava saindo da cidade de Corrente para Barreiras do Piauí com uma grande quantia em dinheiro que seria distribuído para eleitores do povoado Malhado Alto e Limoeiro. Com isso montamos campana juntamente com a Polícia Militar e ao identificar o carro iniciamos uma perseguição. Em um momento eles abandonaram uma caixa e nela estava todo o dinheiro, diante da situação, conseguimos a abordagem e demos a voz de prisão”, explicou.
No veículo a policia ainda encontrou material de campanha. Os três foram detidos e encaminhados para delegacia de cidade de Corrente, localizado a 818 Km de Teresina. “Como existe indícios de captação ilícita de sufrágio, mais conhecido como compra de votos, eu mesmo dei voz de prisão nos três e os encaminhei para a delegacia de Corrente onde o delegado Welton Martins lavrou o flagrante de delito”, disse o promotor.
O delegado Welton Martins, da delegacia de Corrente, informou que os três foram soltos no final da tarde deste sábado (1) depois do pagamento da fiança. "É feito todos os procedimentos do inquérito e encaminhado para um delegado da Polícia Federal que dá andamento a investigação. O material apreendido ainda vai ser analisado para identificarmos do que se trata", informou o delegado.  

Nenhum comentário :