sábado, 10 de dezembro de 2016

Equipe de TV denúncia descaso na saúde de Luís Correia e secretária ameaça chamar polícia para reportagem


A equipe de reportagem da TV Meio Norte esteve na manhã desta sexta-feira (09) no município de Luís Correia, litoral do Piauí para denunciar o descaso da administração pública com o hospital da cidade. O repórter Kairo Amaral e o cinegrafista João Junior estiveram por algum tempo no Hospital Nossa Senhora da Conceição e constataram a falta de respeito com a população. 
Segundo a reportagem, o hospital está sem médico e desta forma as pessoas que procuram atendimento precisam dar ‘meia-volta’ e procurar outra forma de acolhimento. Exames, medicamentos, médicos, fisioterapeuta, consultas nada tem. O repórter Kairo Amaral indaga a funcionaria para que serve o hospital se nada tem, a atendente joga a responsabilidade para a direção. 
Depois do chá de cadeira esperando a diretora do hospital, a reportagem procurou a Secretaria de Saúde da cidade. Ao chegar na sede do órgão, foi encontrada a Secretária Daniele Maia, que se recusou a responder os questionamentos dos profissionais de imprensa e ainda ameaçou processar a dupla, inclusive ameaçando acionar a polícia para os repórteres. 
Com a ausência da diretora e o silêncio da secretária de saúde, a reportagem foi até o gabinete da prefeita derrotada Adriane Prado (PP), todavia a mesma não se encontrava em pleno horário de trabalho e segundo assessores, ela estaria repousando em casa devido a uma viagem realizada durante a semana. 
Segundo dados do ministério da saúde o município de Luís Correia recebeu mais de 4 milhões de reais para a assistência básica em saúde este ano. O descaso na saúde pública da cidade já dura vários anos, porém após a derrota de Adriane Prado nas eleições, o caos generalizou e tudo piorou.
Roberto William
ASSISTA A REPORTAGEM DE KAIRO AMARAL E JOÃO JUNIOR

Após denúncia, direção do hospital de Luís Correia emite nota: 

CONFIRA

A direção do Hospital municipal nossa senhora da Conceição, informa que devido ao atraso de repasses da secretaria de estado da saúde (SESAPI) há quatro meses foram cortados plantões médicos e internações. O hospital atende baixa complexidade 
Com ausência do convênio do ESTADO ficou inviável manter o quadro de plantonistas e especialistas por com término desta gestão entrou se numa concordância de não deixar débitos paro o próximo pleito.  O HMNSC tem 3 médicos efetivo:
1 está de licença materna;
1 pediu exoneração após as eleições; 
Restando apenas 1.

Nenhum comentário :