sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Padre é acusado de abusar sexualmente de coroinha em Buriti dos Lopes


A Diocese de Parnaíba anunciou o afastamento do padre Paulo Jorge de Oliveira Viana, responsável pela Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios, que fica localizada no município de Buriti dos Lopes, Norte do Piauí, onde ele é acusado de abusar sexualmente de um garoto de 10 anos de idade. A nota, assinada pelo Bispo Dom Juarez Sousa da Silva, informa que o padre foi suspenso no dia 31 de janeiro deste ano e segue em prisão domiciliar. 


A delegada Daniella Dinalli, titular da Comarca de Cocal e que atualmente também responde pela delegacia de Buriti dos Lopes é quem está presidindo o inquérito. Segundo a denúncia, a criança, que é coroinha na paróquia local, estava sendo abusada sexualmente pelo pároco há pelo menos um ano. O inquérito foi aberto após a autoridade policial tomar conhecimento do fato através do Conselho Tutelar.


Segundo a delegada, na residência do padre foram apreendidos dois notebooks, que agora estão sendo periciados. “Ele se encontra afastado da Igreja. Aliás, esse afastamento ocorreu no dia em que a polícia cumpriu o mandado de busca e apreensão".

O próximo passo é encaminhar o caso o inquérito policial a justiça. Ele está sendo indiciado pelo crime de estupro de vulnerável e encontra-se afastado das atividades religiosas.

ASSISTA ABAIXO A REPORTAGEM EXIBIDA NA TV ANTENA 10:

NOTA DA DIOCESE DE PARNAÍBA

A Diocese de Parnaíba, na pessoa do seu Bispo diocesano, Dom Juarez Sousa da Silva, vem, através desta nota, informar que ao tomar conhecimento, ainda que informalmente, de que havia denúncia e investigação contra o Pe. Paulo Jorge de Oliveira Viana, presbítero incardinado nesta diocese, decretou, de imediato, desde o dia 31 de janeiro do ano em curso, a suspensão do mesmo das funções sacerdotais ad divinis, e o seu afastamento do Ministério Sagrado, conforme a legislação canônica vigente.


A Igreja, Mãe e Mestra, prima pela verdade, e para tanto, coloca-se à disposição para colaborar com as autoridades civis, na busca da mesma, ciente de que “o tratamento do delito deve levar em consideração três atitudes: para o pecado, a conversão, a misericórdia e o perdão; para o delito a aplicação das penalidades (eclesiástica e civil); para a patologia, o tratamento”.
Que Deus nos conduza no caminho da verdade.

Parnaíba, 09 de fevereiro de 2017

Fonte: Com informações dp Portal Meio Norte

Nenhum comentário :