RELIGIAO E MISSÃO




O Demônio existe?


E-mail: pedudedeus@hotmail.com
Anjos caídos.
Várias pessoas, inclusive os Papas, têm chamado a atenção dos católicos para a importância de estar consciente da existência, natureza e ação dos demônios. Por exemplo:
"Quais são hoje as maiores necessidades da Igreja? Não deixem que a minha resposta os surpreenda como sendo simplista e, ao mesmo tempo, supersticiosa e fora da realidade. Uma das maiores necessidades da Igreja é a defesa contra este mal chamado Satanás. O diabo é uma força atuante, um ser espiritual vivo, perverso e pervertedor; uma realidade misteriosa e amedrontadora." (Papa Paulo VI, L'Osservatore Romano, 24/11/1972)
"É claro que o pecado é um produto da liberdade do homem. Porém, no profundo dessa realidade humana, existem fatores em ação que a colocam para além do meramente humano, na área limite onde a consciência do homem, a sua vontade e a sua sensibilidade estão em contato com as forças das trevas. Elas, de acordo com São Paulo, estão ativas no mundo quase a ponto de dominá-lo (Rm 7,7-25; Ef 2,2; 6,12)" (Papa João Paulo II, Exortação Apostólica à Reconciliação e à Penitência, julho 1993)
Neste trabalho, procuramos apresentar os ensinamentos do Catecismo da Igreja Católica a respeito da existência dos demônios, em linguagem simples, para ser mais acessível. Aqui não há idéias particulares, mas somente o que a Igreja Católica atesta serem verdades de fé em que todo católico deve acreditar.
Em resumo, a Igreja nos ensina que existem seres chamados demônios, que eram anjos, autoconscientes e inteligentes, que se revoltaram contra Deus, e que espalham o mal no mundo. O chefe destes anjos é Lúcifer, chamado de Satanás ou Diabo.
É por isso que antes de receber os sacramentos do Batismo, Crisma e Eucaristia o católico deve renunciar a Satanás e todas as suas obras.
Os Anjos (§328-330)
A existência de seres espirituais, não-corporais, que a Sagrada Escritura chama de anjos, é uma verdade de fé. São criaturas puramente espirituais, dotadas de inteligência e vontade. São criaturas pessoais e imortais. Superam em perfeição todas as criaturas visíveis.
A Queda dos Anjos (§391-395)
A desobediência dos primeiros pais (Adão e Eva) foi incitada por Satanás, o Diabo. Ele é um ser, um anjo destronado. Antes ele era um anjo bom, criado por Deus. Mas agora ele se opõe a Deus e por inveja, leva os homens à morte. O Diabo e os outros demônios foram criados bons por Deus e se tornaram maus por sua própria iniciativa.
Esses anjos cometeram um pecado. Essa queda foi uma opção livre desses espíritos criados, que rejeitaram de forma total e definitiva a Deus e o seu Reino. Temos um reflexo desta rebelião nas palavras que o Tentador disse a nossos primeiros pais: "Vocês serão como deuses."
O Diabo é pecador desde o princípio, assassino desde o princípio e pai da mentira. Ele até chegou a tentar desviar Jesus de sua missão. Pois Jesus se manifestou para destruir as obras do Diabo.
Mas o poder de Satanás não é infinito. Ele é poderoso por ser um espírito, mas é apenas uma criatura. Não pode impedir a edificação do Reino de Deus. Ele age no mundo por ódio a Deus e ao seu reino em Jesus Cristo.
Deus permite que o Diabo aja, e isso é um grande mistério, mas nós sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam.
Um Duro Combate (§407-411)
Pelo pecado original o Diabo adquiriu uma certa dominação sobre o homem, embora este continue livre. O pecado original causa a servidão debaixo do poder daquele que tinha o império da morte, isto é, do Diabo.
O mundo está em uma situação dramática: o mundo inteiro está sob o poder do Maligno.
Mas Deus não nos abandonou. Deus anunciou o combate entre a serpente (o Diabo) e a Mulher (Maria Imaculada) e a vitória final de Jesus Cristo.
O Nome de Jesus (§434)
A Ressurreição de Jesus glorifica o nome do Deus Salvador, pois a partir de agora é o nome de Jesus que manifesta totalmente o poder supremo do nome acima de todo nome. Os espíritos maus temem seu nome.
A Tentação de Jesus (§538-539)
Após o retiro de Jesus ao deserto, Satanás o tentou por três vezes. Pela sua obediência a Deus, Jesus tornou-se o vencedor do Diabo. Ele venceu o Tentador por nós.
Jesus Desceu à Mansão dos Mortos (§635)
Cristo desceu às profundezas da morte. Jesus, o Príncipe da vida, destruiu pela morte o dominador da morte, isto é, o Diabo.
Por isso, ao nome de Jesus todo joelho se dobra no Céu, na Terra e nos Infernos.
A Obra de Cristo na Liturgia (§1086)
Jesus nos libertou do poder de Satanás e da morte e nos transferiu para o reino do Pai.
O Batismo (§1237)
Como o Batismo significa a libertação do pecado e do seu instigador, o Diabo, pronuncia-se um exorcismo sobre o candidato. Este é ungido com o óleo dos catecúmenos ou então o celebrante impõe-lhe a mão, e o candidato renuncia explicitamente a satanás.
Exorcismo (§1673)
Quando a Igreja exige publicamente e com autoridade, em nome de Jesus Cristo, que uma pessoa ou objeto sejam protegidos contra a influência do maligno e subtraídos a seu domínio, fala-se em exorcismo. Jesus o praticou e é dele que a Igreja recebeu o poder e o encargo de exorcizar.
O exorcismo visa expulsar os demônios ou livrar da influência demoníaca, e isto pela autoridade espiritual que Jesus confiou à sua Igreja. Bem diferente é o caso de doenças, sobretudo psíquicas, cujo tratamento depende da ciência médica. Antes de celebrar o exorcismo, é importante ter certeza de que se trata de uma presença do maligno e não de uma doença.
O Homem Imagem de Deus (§1708)
Pela sua paixão, Cristo livrou-nos de Satanás e do pecado.
A Idolatria (§2113)
Existe idolatria quando o homem presta honra e adoração a uma criatura em lugar de Deus. Por exemplo: deuses ou demônios - o satanismo.
A Mentira (§2482)
Mentira é dizer o que é falso com a intenção de enganar. O Senhor denuncia na mentira uma obra do Diabo: Vós sois do diabo, vosso pai, ... nele não há verdade: quando ele mente, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.
A Inveja (§2538)
É pela inveja do demônio que a morte entrou no mundo.
Livrai-nos do Mal (§2851-2855, 2864)
Neste pedido da oração do Pai-Nosso, o Mal não é uma abstração (uma idéia, uma força, uma atitude), mas designa uma pessoa: Satanás, o Maligno, o anjo que se opõe a Deus.
O Diabo é aquele que se atravessa no meio do plano de Deus e de sua obra de salvação realizada em Cristo.
Assassino desde o princípio, mentiroso e pai da mentira, Satanás, sedutor de toda a terra habitada. Foi por ele que o pecado e a morte entraram no mundo e é por sua derrota definitiva que a criação toda inteira será liberta da corrupção do pecado e da morte.
Nós sabemos que todo aquele que nasceu de Deus não peca; o Gerado por Deus se preserva e o Maligno não o pode atingir. Nós sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro está sob o poder do Maligno.
O Senhor que arrancou vosso pecado e perdoou vossas faltas está disposto a vos proteger e a vos guardar contra os ardis do Diabo que vos combate, a fim de que o inimigo, que costuma engendrar a falta, não vos surpreenda. Quem se entrega a Deus não teme o Demônio. Se Deus é por nós, quem será contra nós?
A vitória sobre o príncipe deste mundo foi alcançada, de uma vez por todas, na Hora em que Jesus se entregou livremente à morte para nos dar a sua vida. É o julgamento deste mundo e o príncipe deste mundo é lançado fora. Ele põe-se a perseguir a Mulher (Maria), mas não tem poder sobre ela: a nova Eva, cheia de graça por obra do Espírito Santo, é libertada do pecado e da corrupção da morte (Imaculada Conceição e Assunção da Santíssima Mãe de Deus, Maria, sempre virgem).
Enfurecido por causa da Mulher, o Dragão foi então guerrear contra o resto dos seus descendentes. Por isso o Espírito e a Igreja rezam: Vem, Senhor Jesus, porque sua Vinda nos livrará do Maligno.
Ao pedir que nos livre do Maligno, pedimos igualmente que liberte de todos os males, presentes, passados e futuros, dos quais ele é autor ou instigador.
O príncipe deste mundo atribuíra a si mentirosamente os três títulos de realeza, poder e de glória; Cristo, o Senhor, os restitui a seu Pai e nosso Pai, até entregar-lhe o Reino quando será definitivamente consumado o Mistério da salvação e Deus será tudo em todos.
Neste pedido, "livrai-nos do mal", o cristão pede a Deus, com a Igreja, que manifeste a vitória, já alcançada por Cristo, sobre o Príncipe deste mundo, sobre Satanás, o anjo que se opõe pessoalmente a Deus e a seu plano de salvação.
Por: Fernando de A. Correia

religião e missao

Jesus Cristo veio para anunciar e inaugurar o Reino de Deus no mundo e nos homens. Os homens têm uma capacidade de acolher a Deus em seus corações (Rm 5,5). Esta capacidade de acolher a Deus está, entretanto, ofuscada pelo pecado; e às vezes no homem o mal ocupa o lugar onde Deus quer viver.
Por isto Jesus Cristo veio libertar o ser humano do domínio do mal e do pecado, e assim também de todas as formas de domínio do maligno, isto é, do diabo e de seus espíritos malignos chamados demônios, que querem desviar o sentido da vida do homem.
Por esta razão, Jesus Cristo expulsava os demônios e livrava os homens da possessão dos espíritos malignos, para abrir espaço no homem, de maneira que, este último, tenha a liberdade para Deus. Ele quer dar seu Espírito Santo ao homem que é chamado a converter-0se em templo (cf. 1Cor 6,19; 1Pe 2,5) para dirigir seus passos (cf. Rm 8,1-17; 1Cor 12,1-11; Gl 5,16-26) para a paz e a salvação.
O ministério da Igreja
- É aqui que entra a Igreja e seu ministério.
A Igreja está chamada a seguir a Jesus Cristo e recebeu o poder, da parte de Cristo, de continuar sua missão em seu nome. Assim a ação de Cristo para libertar o homem do mal será exercida através do serviço da Igreja e de seus ministros ordenados, delegados do Bispo para cumprir os sagrados ritos dirigidos a libertar os homens da possessão do maligno.
O exorcismo é, pois, uma antiga e particular forma de oração que a Igreja utiliza contra o poder do diabo.
Eis aqui como o Catecismo da Igreja Católica explica o que é o exorcismo e como se exerce:
“Quando a Igreja pede publicamente e com autoridade, em nome de Jesus Cristo, que uma pessoa ou um objeto seja protegido contra as armadilhas do maligno e subtraída de seu domínio, fala-se de exorcismo.
Jesus o praticou (Mc 1,25s), dEle tem a Igreja o poder e o ofício de exorcizar (cf. Mc 3,15; 6,7.13; 16,17). De forma simples, o exorcismo tem lugar na celebração do Batismo.
O exorcismo solene só pode ser praticado por um sacerdote e com permissão do bispo. Nesses casos é preciso proceder com prudência, observando estritamente as regras estabelecidas pela Igreja.
O exorcismo tenta expulsar os demônios ou libertar do domínio demoníaco graças à autoridade espiritual que Jesus confiou à sua Igreja. Muito diferente é o caso das doenças, principalmente psíquicas, cujo cuidado pertence à ciência médica. Portanto, é importante assegurar-se, antes de celebrar o exorcismo, de que se trata de uma presença do Maligno e não de uma doença (cf. Código de Direito Canônico, cân. 1172)”. (Catecismo da Igreja Católica, n. 1673).
A obsessão e suas características
A Sagrada Escritura nos ensina que os espíritos malignos, inimigos de Deus e do homem, desenvolvem sua ação de diversas maneiras; entre elas está a obsessão diabólica chamada também possessão diabólica. Entretanto, a obsessão diabólica não é o modo mais freqüente como o espírito das trevas exerce sua influência.
A obsessão tem características de espetacularidade e nela o demônio se apodera, de um certo modo, das forças e das atividades físicas da pessoa que padece a possessão. Não pode, entretanto, apoderar-se da livre vontade do sujeito, e por isso o demônio não pode comprometer a vontade livre da pessoa possuída até o ponto de faze-la pecar.Esta violência física que o diabo exerce no obsesso é uma incitação ao pecado, que é o que o diabo busca lograr.
O ritual do exorcismo indica diversos critério e indícios que permitem chegar, com prudente certeza, à convicção de quando se tem diante de si uma possessão diabólica. Então o exorcista autorizado poderá realizar o solene rito do exorcismo.
Entre estes critérios encontram-se: falar ou entender muitas palavras em línguas desconhecidas, evidenciar coisas distantes ou inclusive escondidas, demonstrar forças além da própria condição, e isto junto com a aversão veemente a Deus, à Virgem, aos Santos, à Cruz e às imagens santas.
Vale a pena destacar que para poder realizar o exorcismo é necessária autorização do Bispo diocesano, autorização que pode ser concedida para um caso específico ou também de modo geral e permanente ao Sacerdote que exerce na diocese o ministério de exorcista.
O Ritual do Exorcismo
O Ritual Romano continha, em um capítulo específico, as indicações e o texto litúrgico dos exorcismos. Este capítulo era o último e ficou sem ser revisado depois do Concílio Vaticano II. a redação final deste Rito dos Exorcismos exigiu muitos estudos, revisões, atualizações e modificações com várias consultas das Conferências Episcopais, depois de uma análise de parte de uma Assembléia Ordinária da Congregação para o Culto Divino. O trabalho exigiu 10 anos e deu como resultado o texto atual, aprovado pelo Sumo Pontífice, que está publicado e à disposição dos Pastores e dos fieis da Igreja.
Ficará ainda pendente um trabalho que compete às respectivas Conferências Episcopais: e é o da tradução deste Ritual às línguas faladas nos respectivos territórios; estas traduções deverão ser exatas e fiéis ao original em latim e deverão ser postas, segundo a norma canônica, à “recognitio” (ao reconhecimento) da Congregação para o Culto Divino.
O exorcismo
No ritual que hoje apresentamos encontra-se, antes de tudo, o rito do exorcismo propriamente dito, a ser exercitado sobre uma pessoa possessa. Seguem as orações a recitar-se publicamente por um sacerdote, com a permissão do Bispo, quando se julga prudentemente que existe uma influência de Satanás sobre lugares, objetos ou pessoas, sem chegar ao estado de uma possessão própria e verdadeira.
Há, além disso, uma coleção de orações para recitar de forma privada por parte dos fiéis, quando estes suspeitam com fundamento de estarem sujeitos ou sob influência diabólica.
O exorcismo tem como ponto de partida a fé da Igreja, segundo a qual existem Satanás e os outros espíritos malignos, e que sua atividade consiste em afastar os homens do caminho da salvação. A doutrina católica nos ensina que os demônios são anjos caídos por causa do pecado, que são espíritos de grande inteligência e poder: “Entretanto, o poder de Satanás não é infinito. Não é mais do que uma criatura, poderosa pelo fato de ser puramente espírito, mas sempre criatura: não pode impedir a edificação do Reino de Deus.
Embora Satanás atue no mundo por ódio contra Deus e seu Reino em Jesus Cristo, e embora sua ação cause graves danos -de natureza espiritual e indiretamente inclusive de natureza física – em cada homem e na sociedade, esta ação é permitida pela divina providência que com força e doçura dirige a história do homem e do mundo. Porque Deus permite a atividade diabólica é um grande mistério, mas “nós sabemos que em todas as coisas Deus intervém para bem dos que o amam” (Rm 8, 28)” (Catecismo da Igreja Católica, n. 395).
Luta, graça e vitória
A presença do diabo e de sua ação, explica a advertência do Catecismo da Igreja Católica : “Esta situação dramática do mundo que “jaz inteiramente sob o poder do maligno” (1 Jo 5, 19), faz da vida do homem um combate: “Através de toda a história do homem estende-se na dura batalha contra os poderes das trevas que, iniciada já na origem do mundo, durará até o último dia segundo diz o Senhor.
Nesta luta, o homem deve combater continuamente para aderir-se ao bem, e não sem grandes trabalhos, com a ajuda da graça de Deus, é capaz de alcançar a unidade em si mesmo” (Concilio Ecumênico Vaticano II, Constituição Pastoral sobre a Igreja no Mundo Atual, Gaudium et spes, n. 37,2)” (Catecismo da Igreja Católica, n. 409).
A Igreja está segura da vitória final de Cristo e portanto, não se deixa levar pelo medo ou pelo pessimismo, mas ao mesmo tempo é consciente da ação do maligno que busca nos desanimar e semear a confusão.
“Tenham fé -diz o Senhor- Eu venci o mundo!” (Jo. 16,33). Nesse marco encontram seu lugar os exorcismos, expressão importante, embora não única, da luta contra o maligno.

Diocese de Parnaíba realiza Grande Semana Missionária de 5 a 12 de fevereiro


Igreja de São Sebastião (Foto: Darklise Albuquerque)
"Ide e fazei discípulos meus todos os povos." (Mt 28,19).
A Diocese de Parnaíba através da paróquia de São Sebastião se prepara para a realização da Grande Semana Missionária que acontecerá entre os dias 05 a 12 de fevereiro de 2012. A semana missionária é o maior evento evangelizador das Santas Missões Populares.
A abertura acontecerá no próximo domingo (05) às 17h30min com uma concentração no cruzamento das ruas Armando Bulamarque com a Rua Guaporé no Bairro São Francisco para saída em procissão e vans para o local da missa de abertura que será realizada na Praça Piauí às 19horas com envio dos Missionários locais.
Na segunda-feira, Dia da Ternura e Compaixão, logo pela manhã, às 5horas, Alvorada saindo do cruzamento da Rua Samuel Santos com a 3 de Maio com destino a Igreja de São Sebastião onde haverá oração, reflexão e café compartilhado. Às 18 horas será rezado um Terço e Missa na residência do Sr. Egilson situado a Rua Amando Bulamarque, no Bairro São Francisco e em seguida um lanche compartilhado.
Na terça-feira, Dia das Bem Aventuranças e Maldições de Jesus, às 19horas uma vigília no Santuário da Mãe Rainha com adoração e lanche compartilhado.
Na quarta-feira, Dia de Oração e Meditação Pessoal, às 18 horas será rezado o Terço e acolhida dos Missionários de fora com missa na casa da Jakelania e Edson na Rua Prudente de Moraes, Bairro São Francisco e finalizando com lanche compartilhado.
Na quinta-feira, Dia do Amor Gratuito, Solidário e Eficaz, às 5 horas Alvorada saído da Igreja São Sebastião para a Rua Francisco Severiano até a casa da Sra. Do Carmo e Sr. Raimundo, onde haverá orações e café compartilhado. Das 8 às 17 horas acontecerão visitas nas famílias. Às 18 horas será rezado terço e missa casa do Sr. Isaac na rua Joaquim Santos com bênção dos pães e em seguida lanche compartilhado.
Na sexta-feira, Dia do Perdão e Fidelidade no Evangelho, às 7 horas café compartilhado na casada Sra. Graça na Rua Mal Pires Ferreira. De 8 às 17 horas serão feitas visitas às famílias. Às 18 horas Terço e Missa com fogueira para a queima dos pecados (levar galhos secos) na rua são Paulo (por trás do Santuário da Mãe Rainha) e após lanche compartilhado. Às 20 horas Caminhada Penitencial e Via-sacra saindo da Rua São Paulo para a instalação do cruzeiro no cruzamento da Av. São Sebastião com a rua Francisco Severiano.
No sábado, Dia da Renovação das Promessas Batismais, às 5h30min alvorada saindo da casa da senhora Terezinha e Júlio na travessa Santa Rita e café compartilhado. Das 8 às 17 horas haverá encontro com as crianças. Ás 16 horas encontro com os jovens e famílias na Igreja São Sebastião. Ás 18 horas caminhada saindo do cruzeiro para missa de encerramento no setor da Rua Samuel Santos com a 3 de maio e logo após será servido um lanche compartilhado.
No domingo, Dia de Louvor e Compromisso, logo na manha, ás 7 horas, será realizada uma caminhada com as crianças e jovens saindo do cruzamento da 3 de maio com a Samuel Santos para missa na Igreja de São Sebastião. Às 18 horas será feita Caminhada saindo do cruzeiro para o local da missa de encerramento na Igreja de São Sebastião onde acontecerão Show Cultural.

Porque usamos aliança no quarto dedo?


Algumas histórias têm explicações diferentes. Existem muitas versões para o costume da aliança como símbolo de compromisso, mas nenhuma foi realmente comprovada.




Os egípcios acreditavam que nesse dedo (anelar) existe uma veia que está ligada diretamente ao coração. Então, a aliança colocada sobre essa veia estaria também ligada ao símbolo do amor.

Na Inglaterra medieval, a noiva usava inicialmente a aliança no dedo polegar e no casamento o noivo ia mudando a aliança de dedo, enquanto recitava "Em nome do pai, do Filho e do Espírito Santo". A cada menção, um dedo. Assim, do polegar chegava ao anelar e aí permanecia para sempre.

Outra versão é a de que o dedo anelar da mão esquerda é o menos utilizado de todos os dez dedos. Dessa forma, a aliança ali corria menos riscos e estava mais protegida como também o amor do casal.

As alianças iniciais eram de ferro e como ele enferruja, foram com o tempo substituídas por metais mais nobres, como a prata e o ouro.Cada dedo da mão representa um membro da família:


Polegar – representa os pais

Indicador – representa os irmãos

Médio – representa você mesmo

Anelar – representa seu companheiro
Mínimo – representa os filhos


Una os dedos das duas mãos pela ponta dos dedos, exceto os dedos do meio que deverão estr dobrados um de frente para o outro. Agora, tente separá-los:

Os polegares podem ser separados, eles indicam seus pais; você não viverá com eles o resto de sua vida.
Os indicadores separam-se facilmente; os irmãos e irmãs um dia também vão se separar de você, pois terão suas próprias famílias. Assim o indicador e o dedo mínimo também podem se separar.
Os dedos mínimos também podem ser separados. Indicam seus filhos que também irão crescer e se casar.
Finalmente, os dedos anelares, não conseguimos separá-los, significando que marido e mulher devem viver juntos o resto da vida.

COMEÇA O NOVENÁRIO DE SÃO SEBASTIÃO 2012

 
A Paróquia de São Sebastião está em festa, celebrando o novenário de seu Padroeiro, que iniciou-se nesta noite de quarta-feira, 11 de janeiro, refletindo o subtema 
"Eis que venho fazer com prazer, a vossa vontade Senhor!"
A missa foi presidida pelo Frei Santos, concelebrada pelos confrades Hermano, Chagas e Padre José Cleto
Cantos Litrugico
Coral São Sebastião e Grupo Yes.
Comunidade responsável pela noite:
Santa Clara.
Após a celebração todos foram convidados a participar da confraternização social.

Participe conosco do novenário de São Sebastião, Seja Bem vindo.


Realização 
Paróquia São Sebastião

FESTEJO DE SÃO SEBASTIÃO DE 10 A 20 DE JANEIRO 2012

 

GRANDE SEMANA MISSIONARIA PARÓQUIA DE SÃO SEBASTIÃO














Na noite de ontem deu inicio as primeiras reunião da grande semana missionaria, 12 representantes de grupos estiveram no salão santo Antônio, José maria e Tatiane coordenaram a reunião que trata da semana missionaria que acontecera em fevereiro de 2012 de 5 a 12.
uma participarão em massa dos jovem que na para se torna missionários foi falado da responsabilidade e as espectativas na grande semana, como alvorada visitas terços e a santa missa e o mais importante leva a palavra de deus as pessoas que se encontra depressivas as usuários químicos aos alcoólatras, esta sera uma grande missão o grupo são francisco Xavier sera por responsável na comunidade centro
venha participar você tambem PAZ & BEM

fonte: sergio santos