SAUDE

TRATAMENTO PARA OS RINS

LIMPE OS SEUS RINS!

Os anos passam e os nossos rins filtram o sangue, remove o sal, veneno e qualquer indesejado que entra no nosso corpo. Com o tempo, o sal acumula e isso precisa se submeter a tratamentos de limpeza. Como é que vamos libertar-nos disso?

É muito fácil, primeiro lavar um ramo de salsa, limpar, depois cortá-la em pedaços pequenos e colocá-lo numa panela, despeje água limpa e ferva por dez minutos e deixe arrefecer, filtre e despeje numa garrafa limpa, mantê-lo dentro da geladeira para esfriar.

Beber um copo por dia e vai notar que todo o sal e outro veneno acumulado vão sair dos seus rins, por micção, também vai notar a diferença que nunca sentiu antes.

Salsa é conhecida como a melhor limpeza de tratamento para os rins e é natural.

Nossa dica de hoje foi compartilhada por Valério Biazi, página da FisioQuantum.

 

8 dicas infalíveis para ganhar peso


O que fazer para engordar? Descubra 8 dicas infalíveis para ganhar peso!
Homens e mulheres, das mais variadas faixas etárias, estão constantemente buscando novas técnicas para que possam manter seus corpos em forma. Porém, nem todas as pessoas procuram dietas para emagrecer. Muitos estão interessados em dietas para engordar.
Valores normais do Índice de Massa Corporal (ou IMC, que é obtido por meio do cálculo Peso / Altura x Altura) situam-se na faixa de 18,5 a 24,9 Kg/m2. Logo, você está abaixo do peso ideal se o seu IMC indicar menos que 18,5.
Pouca ingestão de alimentos e/ou metabolismo acelerado são alguns dos fatores que contribuem para a perda de peso involuntária. São várias as causas que podem colaborar para esse quadro, como por exemplo, problemas endócrinos, gastrointestinais, neurológicos, psiquiátricos (como a anorexia), além de deficiências nutricionais, infecções e tumores.
Se você quer ganhar peso, siga as 8 dicas a seguir para engordar de maneira saudável:

1. Ingira mais calorias


O princípio básico para engordar é ingerir mais calorias do que você gasta. Procure comer porções maiores do que comia antes, mas saiba escolher os alimentos, para engordar sem arruinar sua saúde.
E não se esqueça de comer seis vezes ao dia, sempre incluindo carboidratos e gorduras saudáveis, que são mais calóricos e estimulam o apetite. O ideal é que você faça três grandes refeições (café da manhã, almoço e jantar) e três lanches (nos intervalos entre uma refeição e outra).

2. Faça escolhas inteligentes


Ao invés de comer só pão, escolha derivados do leite, peixe, carne e ovos, por exemplo. Coma também alimentos com elevado teor de proteínas, como feijão, legumes e ervilha, e alimentos com alto teor de amido, como batatas, arroz e mandioca. Castanhas, amendoim e nozes são ótimos alimentos calóricos e saudáveis para servir de lanche para quem deseja engordar.

3. Proteína é muito importante


A maioria das calorias que contribuem para o ganho de peso é proveniente de carboidratos e gorduras, mas o seu corpo necessita de uma grande quantidade de proteína para construir novos músculos. Portanto, não substitua os carboidratos e gorduras por proteínas, mas aumente o consumo das mesmas.

4. Faça vários lanches


Faça vários lanches durante o dia, com alimentos que podem te ajudar a ganhar peso e não prejudiquem a sua saúde. Consuma queijo, frutas secas, e barras de cereais, por exemplo.
Evite hambúrgueres, batatas fritas e junk food em geral. Você engordará, mas não se manterá saudável, pois ganhará gordura abdominal e colesterol.

5. Líquidos também engordam


Não são só os sólidos que contribuem no ganho de peso. Os líquidos também! Por isso, beba uma grande quantidade de líquidos que fornecem nutrientes e calorias, como leite, iogurte, sucos de frutas e compostos de alta caloria, por exemplo.

6. Intensifique os exercícios


Fazer aeróbica é ótimo? Não para engordar!
Você precisa de exercícios anaeróbicos e intensos para ganhar massa muscular. São exercícios que envolvem pesos, aparelhos de academia, mas também podem ser feitos em casa (flexôes, agachamentos, barras). Os exercícios aeróbicos, como corridas, devem ser mais leves.

7. Usar suplementos ou não?


Em algumas situações, suplementos alimentares podem ajudar a ganhar peso, principalmente no caso de atletas. Porém, devem ser usados com cuidado e com acompanhamento médico e nutricional.
Não consuma nenhuma substância por conta própria e nem siga conselho de amigos sob risco de colocar sua saúde em risco. Consulte um profissional.

8. Não desista!


Pode demorar um pouco, geralmente alguns meses, para que você perceba mudanças no seu peso. Algumas pessoas ficam frustradas logo no início e desistem das medidas que estão tomando para engordar antes dos resultados começarem a aparecer.
Porém, seu corpo só responde a um esquema consistente. Nenhuma dieta para ganhar peso funciona se você não a segue de modo regular.
Fatores hereditários são realmente importantes na determinação do seu peso, mas por meio de dietas e exercícios você pode mudar isso.

Velhinho que faz sexo três vezes por dia se torna o pai mais velho do mundo


O agricultor indiano Ramjeet Raghav, de 96 anos, se tornou o pai mais velho do mundo. O bebê nasceu totalmente saudável, segundo relata a imprensa britânica.
Ramjeet Raghav e sua esposa Shakuntala
Ramjeet bateu seu próprio recorde — em 2010, aos 94 anos, ele teve um outro filho com sua mulher, Shakuntala, de 52 anos.
Ramjeet disse que seu filho nasceu por “desejo de Deus”.
— O que eu posso fazer se Ele queria que eu tivesse outro filho?
Ele admitiu que sente orgulho de ter tido um bebê saudável nessa idade. Mas, segundo ele, o que seus vizinhos invejam mesmo é seu desejo sexual.

O indiano revelou ao Daily Mail que faz sexo “três ou quatro vezes” por noite.
— Meus vizinhos estão com ciúmes e me perguntam qual é meu segredo [...]. Eu sou saudável e gosto de fazer sexo com minha esposa. Acho que é muito importante para um casal fazer sexo regularmente.
Ele ainda disse que, para o bem do filho recém-nascido, “colocou as necessidades de lado por um tempo”.
O indiano ainda revelou que permaneceu solteiro e celibato por sua vida inteira, até que conheceu Shakuntala, cerca de dez anos atrás.
R7

Duas em cada três mulheres sofrem com problemas intestinais

Estudo inédito sobre a saúde intestinal das brasileiras mostrou que a prisão de ventre afeta até a vida sexual





Getty Images
Prisão de ventre: estudo mostrou que ela afeta negativamente a vida sexual de 57% das brasileiras

Cerca de 67% da população feminina sofre com problemas intestinais, revelou a pesquisa Saúde Intestinal da Mulher (SIM), conduzida pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) e divulgada hoje (31).
Entre os problemas mais citados, estão gases (57%), inchaço (56%), sensação de peso (46%) e constipação (26%).
Siga o iG Saúde no Twitter
O estudo entrevistou 3.500 mulheres em 10 cidades de todo o território nacional e abordou também aspectos psicológicos. Usar o banheiro fora de casa, por exemplo, foi apontado como causa dos problemas intestinais por grande parte delas. Além disso, 72% disseram enfrentar dificuldades para ir ao banheiro durante a semana, mas não nos finais de semana.
“Existe um fator cultural importante: a menina é ensinada desde cedo a não sentar no vaso pra não pegar doenças e a evitar usar o banheiro fora de casa. Aí ela passa a evacuar exclusivamente no vaso sanitário próprio. Uma relação que dura a vida toda.” Diz José Galvão Alves, presidente da FBG e um dos coordenadores do estudo.
A pesquisa levantou ainda três aspectos que parecem influenciar determinantemente a saúde intestinal feminina: os hábitos alimentares (comem muito e com pouca variação), o estilo de vida (estresse, trabalho em excesso e ficar sentada por muito tempo) e as orientações nutricionais (comem muito rápido e não tem tempo para atividades físicas).

Os problemas intestinais não são encarados como doença por 25% delas, embora 62% tenham declarado que eles afetam consideravelmente a qualidade de vida. Grande parte (57%) afirmou que eles têm impacto negativo na vida sexual, 66% disseram perder a concentração no trabalho e 69% relataram ter alterações de humor (ficam mais estressadas, tensas e de mau humor).
Os hormônios femininos são um fator de peso no hábito intestinal das mulheres. A progesterona – hormônio responsável por preparar o corpo para a gravidez – reduz a movimentação do intestino, principalmente nos 10 dias que antecedem a ovulação, o que contribui para a prisão de ventre. Mas o grande "inimigo" é mesmo a questão cultural.
“Esse tabu, de não poder falar ou de não poder procurar ajuda, tem prejudicado muito a vida das mulheres. E os aspectos sociais que envolvem essa questão são essenciais. São problemas que afetam o dia a dia”, diz a antropóloga Mirian Goldenberg, que há 25 anos estuda as questões femininas.
Para a psicóloga Pamela Magalhães, muitas mulheres sofrem com o estereótipo da princesa: “Devem ser lindas, limpas e cheirosas. Precisamos desenvolver uma intimidade maior com o nosso intestino, para lidar melhor com tudo isso.”
A pesquisa constatou também que a maioria não consulta um médico: 20% disseram esperar o problema passar por si só e 18,5% se automedicam. A atitude pode gerar problemas mais graves do que se imagina, pois o intestino é fundamental para manter a saúde do organismo como um todo: ele abriga cerca de 70% das células de defesa do corpo. Hoje, sabe-se que as bactérias do intestino interagem até com o cérebro, e podem ser a explicação para doenças como obesidade e asma.
Para o presidente da FBG, tratar o problema não se resume apenas a comer mais fibras e aumentar a quantidade de água ingerida.
“É preciso respeitar o estímulo de ir ao banheiro e não usar chás e medicamentos que irritam a mucosa do intestino e podem agravar o problema a longo prazo” orienta o especialista.

 Corrimento ou secreção natural? Entenda a diferença!

Conheça as principais diferenças existentes entre corrimento e secreção natural que aparece na calcinha e aprenda a realizar a higiene íntima corretamente

Publicado em 29/11/2011
Reportagem: Marina Lucchesi - Edição: MdeMulher
Conteúdo do site ANAMARIA

Não use duchas vaginais. Lave bem a vagina, mas apenas na área externa!
Foto: Getty Images
É normal não estar o tempo todo com a calcinha seca. Mas fique atenta. Segundo a ginecologista Lorena Magalhães, mudanças na cor ou no cheiro da secreção vaginal ou dores podem ser sinal de problema de saúde. E, nesses casos, é preciso procurar o médico imediatamente.

A secreção natural

· É doença? Não, toda mulher tem secreções normais que deixam a vagina naturalmente úmida.

· Precisa de tratamento? Não.

· Existe uma época que pode ser mais intensa? Sim. No meio do ciclo menstrual, um pouco antes e logo após a menstruação.

· Coça? Não.

· Arde? Não.

· Dói durante o sexo? Não.

· O cheiro é muito forte? Não. Toda secreção tem um cheiro natural, que varia de mulher para mulher, mas não chega a incomodar.

· Qual é a aparência? Branca ou transparente, fluida ou similar à clara de ovo crua.

O corrimento

· É doença? Não. Mas é um indicador de doenças que podem ser sexualmente transmissíveis (ou não), como a candidíase.

· Precisa de tratamento? Sim, com medicamentos. O homem com quem você se relaciona precisa ser medicado também.

· Existe uma época que pode ser mais intensa? O seu organismo manifesta os sintomas de alguma doença com o corrimento.

· Coça? Sim.

· Arde? Sim.

· Dói durante o sexo? Sim.

· O cheiro é muito forte? Sim, e chega a incomodar.

· Qual é a aparência? Branca, amarela ou esverdeada.

A higiene íntima correta

Como fazer a higienização?
Use um sabonete neutro, lave bem entre os grandes e os pequenos lábios da vagina e depois enxágue.

É necessário usar algum sabonete específico?
Pode ser uma alternativa. Nem toda mulher se adapta aos produtos feitos para higiene íntima, mas hoje, no mercado, há diversas opções. Use-o apenas externamente - nada de tentar lavar o canal vaginal, porque isso levará as bactérias para dentro.

Devo usar absorventes diários?
Não. O absorvente diário serve apenas para abafar ainda mais uma área que já é bem propícia ao acúmulo de bactérias.

Há algum cuidado especial para o período menstrual?
Não, mas é natural que as mulheres sintam necessidade de se lavar com mais frequência, ou sempre que trocam o absorvente.

Cuidados ao tomar shakes para emagrecer

Antes de incluir o shake emagrecedor na dieta, é necessário conferir a qualidade do produto e consultar um nutricionista.


431620 Cuidados ao tomar shakes para emagrecer 1 Cuidados ao tomar shakes para emagrecer
O shake não é a solução mais saudável para emagrecer.
Conquistar o corpo perfeito é o sonho de homens e mulheres, mas fica complicado reduzir as medidas sem adotar uma dieta apropriada. Ao diminuir o consumo de alimentos calóricos e gordurosos, o indivíduo tem a chance de visualizar a sua perda de peso, sobretudo quando ele acrescenta shakes para emagrecer na sua rotina.
No entanto, os especialistas da saúde alertam que substituir as refeições por shakes pode ser uma atitude perigosa. Segundo pesquisas, existem produtos que não possuem propriedades o suficiente para manter o equilíbrio nutricional do organismo, o que acaba desencadeando problemas de saúde.
No mercado é possível encontrar várias marcas de shakes para emagrecer, disponíveis em todos os tipos de sabores para não desagradar o paladar. No entanto, nem todos os produtos possuem o registro da Anvisa ou cumprem com a promessa descrita na embalagem. Estas deficiências colocam em jogo a qualidade de cada composição preparada para perder peso.
Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor reprovou a qualidade nutricional dos shakes de cinco marcas diferentes. De acordo com a entidade, a quantidade de proteína, carboidrato e gordura está fora dos padrões sugeridos pelos fabricantes.
Na análise, os shakes emagrecedores reprovados pertencem às marcas Bio Slim, Diet Shake, Diet Way, Herbalife e In Natura.

Cuidados com a escolha do shake

431620 Cuidados ao tomar shakes para emagrecer Cuidados ao tomar shakes para emagrecer
Há marcas de shakes emagrecedores que não possuem equilíbrio nutricional.
O shake possui menos calorias  do que uma refeição normal, porém nem sempre ele satisfaz as necessidades nutricionais do corpo. Os médicos alertam ainda que as substituições não devem acontecer o tempo todo, muito pelo contrário. O ideal é que o consumo do shake seja feito no máximo quatro vezes por semana.
Apesar do consumo de shakes significar a ingestão de poucas calorias, isto não é totalmente benéfico para a dieta. Na verdade o corpo precisa se energia para se manter vivo e realizar as funções normalmente. Com o índice calórico baixo, o organismo acaba adotando um sistema de economia de energia ineficiente.
Entre os danos causados por uma dieta defasada vale ressaltar a desnutrição, os problemas hepáticos, a osteoporose e até mesmo alguns tipos de câncer. Para não correr o risco de ficar doente, é essencial consultar um nutricionista e conhecer a melhor forma de acrescentar o shake à alimentação sem afetar o organismo. O cardápio de uma dieta realmente saudável inclui todos os tipos de alimentos, em quantidades balanceadas, para equilibrar os valores nutricionais do corpo. Assim, a bebida ‘emagrecedora’ atua apenas de forma complementar.
431620 Cuidados ao tomar shakes para emagrecer 2 Cuidados ao tomar shakes para emagrecer
A perda de peso não pode interferir na busca por um corpo saudável.
Tenha o acompanhamento nutricionista e não coloque a saúde em risco.

Conheça um ótimo suplemento, e barato !



Ei, manolo ! Você "treina" ?  "Academia"?



Então, vai gostar disto ! 

Estudos, inclusive um publicado pelo IJSNEM, mostram que o Nescau, Toddy, Quick, etc. achocolatado é um fodástico excelente alimento para reconstrução muscular.
Quando você malha "destrói" os músculos. E no período de descanço eles são "reconstruídos" e é aí que você cresce, ganha massa muscular.
Todinho achocolatado têm carboidratos e proteínas. Tudo que seu corpo precisa depois do treino. Além de ter cálcio e as vitaminas A e D. Que geralmente o Whey e similares os suplementos não têm. Além de ser muito mais barato! ; )
Então já sabe: até meia hora depois de malhar, mande um copo de Nescau achocolatado pra dentro !


DOR LOMBAR
Sinônimos:
lombalgia, doença postural da coluna vertebral
Oitenta por cento dos seres humanos sentem dor lombar (lombalgia) em algum momento de suas vidas. Uma proporção menor tem dor cervical (pescoço) e na nuca, sendo que outros sentem dorsalgia. A maioria destas pessoas pode manter suas atividades habituais, mas as cumprirão com períodos de desconforto ou dor. Cerca de 30% desse grupo faltará ao trabalho devido à lombalgia.
Quais as causas de lombalgia?
Na grande maioria das vezes, a dor se relaciona com problemas mecânicos da coluna vertebral, isto é, com defeitos na sua função. O tratamento principal é normalizar a função, isso podendo ser obtido com exercícios e outros cuidados posturais.
Outras causas são também freqüentes:
 
osteoartrite (artrose) das articulações intervertebrais e
desestruturação do disco intervertebral (discopatia degenerativa.)
Menos encontradas:
 
espondilolistese,
sacralização da apófise transversa da 5a vértebra lombar uni ou bilateral,
síndrome do músculo piriforme e
doenças das articulações sacro-ilíacas.
Este capítulo é dedicado à postura, porque prevenção ou correção de má postura previnem, melhoram ou corrigem a maioria dos problemas que levam a lombalgia.
O que é postura?
Postura é a posição do corpo.
Boa postura pode ser definida como o arranjo harmônico das partes constituintes do corpo, tanto em posição estática (parado) como em diferentes situações dinâmicas (movimento e força).
Quando se fala em coluna, postura é a coluna vertebral ereta estática (parado na posição de pé).
A posição ereta é obtida através dos tecidos moles da coluna vertebral: músculos, ligamentos e cápsulas articulares.
Boa postura é o resultado da capacidade que ligamentos, cápsulas e tônus muscular têm de suportar o corpo ereto, permitindo sua permanência em uma mesma posição por períodos prolongados sem desconforto. Uma postura aceitável também deve ser esteticamente apreciável.
Portanto, quando alguém cansa em uma fila de cinema, sente desconforto ou dor, se fica muito tempo assistindo TV, ou precisa sair cedo da cama no domingo porque dóem as costas, há sintomas de doença postural da coluna vertebral.
Desse modo, o exame postural é a avaliação da posição da coluna vertebral, das relações das suas curvaturas entre si e dos elementos envolvidos na sua harmonia ou desequilíbrio.
O exame postural é parte da avaliação física do aparelho locomotor e deve ser complementado pelo estudo cinético (movimentos) da coluna vertebral para adequada interpretação funcional das queixas ou achados eventualmente encontrados.
O que é a coluna vertebral? Como ela funciona?
A coluna vertebral é um conjunto de vértebras e discos sobrepostos.
Duas vértebras separadas por um disco intervertebral formam uma unidade.
O segmento anterior da unidade funcional está preparado para suportar peso, absorver choque e ter flexibilidade. No segmento posterior localizam-se as estruturas nervosas (medula e raízes nervosas) e um par de articulações que orientam os movimentos de cada unidade. Completam os constituintes da coluna ligamentos que têm função de sustentação e músculos.
A coluna vertebral estática
Vista de lado, a coluna vertebral tem quatro curvas fisiológicas: as lordoses cervical e lombar e as cifoses dorsal e sacra. Ela é sustentada pelo sacro, que se situa entre os ilíacos. A última vértebra lombar e a primeira vértebra sacra assumem um ângulo fisiológico que orienta a posição da coluna vertebral . O ângulo lombo-sacro é determinado pelo desenho de uma linha paralela à superfície superior do sacro dirigida a uma linha horizontal e mede ao redor de 30 graus. Ele depende da posição da pelve a qual, por sua vez, é equilibrada centralmente em um eixo transverso que se situa entre as articulações coxo-femurais (coxas com a bacia). Qualquer movimento rotatório da bacia modifica o ângulo lombo-sacro. A inclinação anterior (elevação da região anterior da bacia) o diminui e o movimento inverso, inclinação posterior, posiciona o sacro em direção horizontal, aumentando o ângulo lombo-sacro e a lordose lombar.
A posição da bacia se mantém por meio de controle ligamentar das articulações coxo-femurais. Em bipedestação, a extensão das articulações coxo-femurais é limitada à posição neutra pelos ligamentos ileopectíneos, que são espessamentos dos tecidos capsulares anteriores das articulações coxo-femurais. A pelve também é sustentada pelo tensor da fascia lata, que reforça a posição dos quadris e evita hiperextensão dos joelhos; essa fascia tem sua inserção proximal na crista ilíaca e distal no trato ileotibial na face lateral do joelho. A sustentação dos membros inferiores se faz, nos joelhos, por meio da cápsula articular posterior e ligamentos, não havendo necessidade de contração dos quadríceps. Há pequena contratura da musculatura da panturrilha dispendendo mínima energia. Pode-se observar, então, que a manutenção da postura ereta é essencialmente relacionada aos ligamentos com mínimo gasto de energia.
Vista de frente, a coluna vertebral normal não deve ter desvios laterais ou esses devem ser mínimos. Isso requer um sacro adequadamente alinhado, isso é, horizontalizado. O que determina a horizontalização do sacro é a igualdade de comprimentos dos membros inferiores. Assimetria de desenvolvimento da pelve também é causa de desvio do sacro, apesar de rara.
Em ambas situações, haverá diminuição da altura da bacia no lado afetado e o sacro ficará inclinado e, conseqüentemente, haverá uma atitude escoliótica (não é escoliose verdadeira) secundária com assimetria e sobrecarga nas articulações entre as vértebras. Se a escoliose não for corrigida, desenvolvem-se alterações estruturais nas facetas articulares e nos discos intervertebrais devido a sobrecarga assimétrica.
O desequilíbrio funcional da coluna vertebral
O equilíbrio da coluna vertebral deve ser mantido contra a gravidade, usando-se um mínimo de energia e provocando o menor desgaste possível. A fim de minimizar o consumo de energia, os músculos não participam de modo importante dessa função, cabendo aos ligamentos e cápsulas a principal ação de sustentação. Quando a tensão sobre os ligamentos excede limites fisiológicos ocorre contratura muscular isométrica reflexa (os músculos ficam contraídos sem movimentar-se) protegendo-os de mais alongamento.
A contratura muscular sustentada leva a fadiga e conseqüente incapacidade de proteção ao alongamento excessivo. Numa primeira fase de sobrecarga postural, os pacientes referem desconforto e fadiga, sendo a dor de partes moles um evento posterior.
São numerosos os fatores envolvidos no que se pode denominar doença postural da coluna vertebral.
Entretanto, quatro são predominantes na sua influência e freqüência:
 
Hiperlordose lombar (lordose é a posição côncava; hiperlordose é excesso de concavidade).
Postura esteticamente normal, mas musculatura despreparada e/ou insuficiente flexibilidade dos tecidos moles
Anomalias estruturais congênitas ou adquiridas (neurológicas, musculares, esqueléticas, ligamentares).
Posturas adquiridas por mau hábito ou treinamento inadequado durante os anos de desenvolvimento.
1. Hiperlordose lombar
A grande maioria das pessoas com dor lombar estática possuem hiperlordose.
São exemplos de posturas hiperlordóticas transitórias que podem provocar dor:
 
gravidez,
dormir de barriga para baixo em colchão mole,
usar calçados com saltos altos (projeta o corpo para frente e obriga a postura hiperlordótica para reequilibrá-lo)
sentar-se em cadeiras sem encosto adequado.
Nessas situações, desfazendo-se a lordose excessiva, a dor alivia ou desaparece.
Os mecanismos que levariam esses pacientes a sofrer dor poderiam ser entendidos por:
 
As facetas articulares se aproximam e a compressão excessiva levaria a dor;
Os orifícios intervertebrais têm seu diâmetro diminuído e as raízes nervosas sensitivas que se dirigem aos músculos, articulações e ligamentos são comprimidas;
O disco faz protrusão posterior, pressionando o ligamento longitudinal posterior e irritando terminações nervosas.
Os estímulos transmitidos pelas fibras sensitivas iniciam uma reação reflexa que leva à contratura muscular excessiva a qual tem a intenção de proteger a unidade funcional comprometida. Porém, a contração muscular sustentada torna-se um novo local de dor e, complicando mais ainda, a contração intensa também comprime os tecidos injuriados, fechando um círculo vicioso dor-contratura-dor.
Esse modelo conceitual de dor lombar relacionada com hiperlordose tem sido aceito por mais de cem anos.
Entretanto, ocasionalmente, a patogênese da lombalgia seria a permanência em flexão lombar por tempo prolongado, como ocorre com o homem moderno que gasta a maior parte do tempo sentado. Nessa posição, os tecidos posteriores são alongados em excesso e permitem que o disco intervertebral seja empurrado para trás.
O tratamento, nesses casos, é promover exercícios que fortaleçam os músculos extensores, recriando a lordose anatômica.
Cabe ao médico determinar se os sintomas do paciente se devem a hiperextensão ou hiperflexão. Provocar a dor ao reproduzir a posição anormal esclarece a fisiopatogenia de cada situação em particular.
2. Doença postural relacionada com músculos fracos e/ou rigidez músculo-ligamentar
Uma situação muito freqüente como causa de lombalgia é coluna vertebral normal mas músculos abdominais fracos. São necessários músculos abdominais potentes para sustentar a pressão exercida pela cavidade abdominal e, também, equilibrar as forças dos músculos eretores da coluna; caso contrário, haverá tendência crescente em aumentar a lordose lombar.
Outra condição freqüente e importante (e muitas vezes não identificada) de lombalgia é a falta de flexibilidade dos músculos e ligamentos posteriores da coluna lombar, das coxas e das pernas.
A coluna lombar flexiona 45 graus. Para uma flexão adequada, os músculos eretores, suas fáscias e os ligamentos longitudinais devem ser suficientemente extensíveis.
Após os 45 graus de flexão da coluna lombar, o restante do movimento do tronco se faz através da flexão da pelve. A rotação anterior da pelve é feita ao redor das articulações coxo-femurais e é limitada pelo comprimento e grau de alongamento dos músculos posteriores das coxas e pernas.
Se os tecidos não têm ou não estão com flexibilidade suficiente, a tentativa de atingir a amplitude máxima provocará dor devido ao alongamento excessivo e, eventualmente, dano estrutural.
3. Anomalias estruturais congênitas ou adquiridas
Ao se avaliar a coluna vertebral ereta, devem ser procurados defeitos nos membros inferiores ou na própria coluna. Há várias causas de assimetria de comprimento de membros inferiores. Diferença de até 1 cm é considerada normal e só deve ser valorizada se não se encontrar nenhuma outra causa para dor ou desconforto interpretada como de origem postural.
Causas de encurtamento de membro inferior
 
Hipoplasia congênita
Poliomielite
Pós-fratura
Genuvalgo ou varo assimétrico
Genurecurvatum assimétrico
Contratura assimétrica da panturrilha com pé eqüino
Dispraise de quadrilles
Coxartrose
4. Posturas adquiridas por mau hábito ou durante os anos de desenvolvimento
A influência dos padrões culturais, sociais, profissionais, hábitos, treinamento e psiquismo sobre a postura são importantes e muito numerosos, sendo, muitas vezes, difícil identificá-los. A associação de fatores, inclusive com os estruturais, complica mais ainda o problema.
Devem ser mencionados os gestos profissionais assumidos tanto na posição de pé como sentada, os diferentes modelos de assentos que provocam sobrecargas e alongamentos excessivos e os diferentes modos de sentar, inclusive no chão, influenciados por razões culturais incluindo as religiosas.
O psiquismo contribui de modo importante sobre a postura. A postura é a linguagem do corpo. Em parte, nós nos movemos e paramos como nos sentimos.
Os indivíduos deprimidos mantêm-se numa posição "caída", com o tronco curvado e os ombros projetados para a frente, assemelhando-se a uma pessoa muito cansada. Essa postura leva a estiramento anormal de ligamentos e dor, tornando-se muito fatigante, pois mantê-la leva à sobrecarga dos músculos extensores, adicionando um cansaço fisiológico à sensação psicológica preexistente.
Dor é uma sensação psicológica. Ela é sentida por alguém que posteriormente a descreverá, aí colocando sua reação à dor e sua interpretação do significado de seu sofrimento. Um observador experiente deve saber discernir entre o que podemos chamar de dor física e amplificação da dor que se observa em pacientes com severos distúrbios emocionais.
Também os indivíduos hipercinéticos, devido à agressividade, e os ansiosos, que se mantêm persistentemente tensos, demonstram seus sentimentos na postura.
Sua posição é de desequilíbrio, ficando o tronco anteriormente ao centro de gravidade e todos os músculos num constante estado de contração sustentada.
É comum encontrar meninas adolescentes com alta estatura que tentam diminuí-la curvando o dorso (dorso curvo da adolescente). Também podem modificar sua postura as adolescentes com seios volumosos e os de baixa estatura.
A prática de esportes durante os anos de desenvolvimento pode levar a assimetria corporal, como acontece em jogadores de basquete e tênis.
Também entre crianças e adolescentes os distúrbios psíquicos colaboram de modo importante para atitudes posturais inadequadas.
Todos os padrões de postura adquiridas no período de crescimento podem se perpetuar e tornarem-se problemas na fase adulta. Os tecidos desenvolvem-se de acordo com os estímulos ocorridos e podem terminar seu crescimento de modo defeituoso.
VERMINOSES
Sinônimo:
parasitoses intestinais
O que é?
Infecções intestinais causadas por uma variedade de agentes muito comuns em pessoas de baixa renda sem acesso a redes de esgoto e água tratada.
Como se adquire?
A contaminação se dá de várias formas sendo que a principal é a ingestão de alimentos ou água contaminada e através da pele por ferimentos pequenos.
O que se sente?
De modo geral, a maioria das pessoas infectadas se apresenta com quadro de dor abdominal, cólicas, náuseas, vômitos, diarréias, perda de peso, anemia, febre e quadros respiratórios.
Como se faz o diagnóstico?
A apresentação dos sintomas e os exames de fezes normalmente dão a identificação do parasita. Exames de sangue podem ser necessários se houver acometimento sistêmico.
Como se trata?
Medicamentos antiparasitários específicos após a identificação do agente causador.
Como se previne?
O tratamento das populações afetadas reduz bastante o índice de infecções numa comunidade:
 
cuidados de higiene pessoal e doméstica,
evitar contato íntimo das crianças com solo ou água contaminada,
ferver ou filtrar a água usada na alimentação,
não andar descalço.
Do ponto de vista da comunidade a prevenção se faz através de:
 
educação para a saúde
proibição do uso de fezes humanas para adubo
saneamento básico a toda população
condições de moradia compatíveis com uma vida saudável.

Nenhum comentário :